A ROSA DO FIM DO MUNDO ( CÂNTICOS PROFÉTICOS )

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A chama



















Un paraíso para Rousseau, de Petri Sánchez. Copyright






            A chama



Não é mortal a pura chama:
Incendeia as asas que viaja no tempo
E sobrevive, ainda, a quem ama,
Que não faz da vida um desalento.

Ainda é tempo para colheita
– e os homens não teceram suas cestas
Que carregarão as sementes: da boa nova,
Semeando o universo inteiro.



quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Rodamundo








Como ao ianomâmi,
Dilaceram o meu corpo, 
Neste silêncio milenar.

Náufrago, solitário,
Num mar ondulante...
Na rapidez da vida.

O rajar dos ventos?
Vela não içada -
A caminho do precipício.

Breve é a alma humana:
Que despreza sua semente,
Tornando a terra infecunda.





marília,1981



foto:  Criança ianomâmi

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Arando as estrelas (diz o cantor)


               




A burguesia não tem
Pátria, nem causa.
Mora nos mais altos castelos,
Inatingíveis do coração.

Inventando a miséria,
Espalhando a solidão,
Enchendo de fome
A carne humana.

Sua hipocrisia não tem preço,
Levando a terra
Sorrateiramente
À sua extinção.

Dividir as colinas,
Pois as águas que lá descem
São de todos,
Feitas por uma só mão.





Pictures by:

Vincent van Gogh


Reaper. 1889. Oil on canvas. Vincent van Gogh Foundation, Rijksmuseum Vincent van Gogh, Amsterdam, the Netherlands