A ROSA DO FIM DO MUNDO ( CÂNTICOS PROFÉTICOS )

domingo, 4 de junho de 2017

Paz infinita, ainda que tardia


Se as porta da percepção se desvelarem, cada coisa apareceria ao homem como é, infinita.”
William Blake




Ontem, tive saudades do futuro...
Apesar de esse pisar no escuro,
Cultivamos a perdida lembrança
De sermos felizes com esperança.

Éramos irradiantes, andando
Em busca dos sonhos e desvendando
A cada passo, sem perder a calma,
O sol tangenciando nossas almas.

O tempo amarelou os sorrisos
Inexplicavelmente. Mais do que isso:
Foi implacável com os nossos ideais,
Desmoronando todos os frágeis umbrais.

Mas neste teimoso... aflito peito
Bate ainda incansável, no leito:
Um coração que ama e sobrevive
Pois isto é tudo para quem vive...




Dante e Virgílio diante do portal do Inferno (Canto III). 
Ilustração deWilliam Blake (século XVIII).







quinta-feira, 1 de junho de 2017

A Lápide


       











" Queime o seu demônio interior..."
   Jim Morrison 
  ( Poeta e Músico):

   Em sua Lápide  ( França ).







Ainda quente o corpo na lápide fria,
Singelo instante deteriorante,
Êxtase descarnal da injúria
Da despedida fugaz da vida.

Nas abomináveis noites nunca amanhecidas
Esplendoroso êxtase do momento
Saindo os vermes a cada poro do corpo
Sintetizados pelo próprio ser.

Hão de encontrar outra saída,
Na perambulante sordidez do desencanto,
E reinar a verdade absoluta
Tão próxima de nossas mãos.